Escute nossa Rádio Online

Rádio 96,1 FM Rádio Light Rádio 1390 AM

AUDITOR FISCAL DE SÃO PAULO É PRESO POR MOLESTAR MULHER DURANTE VIAGEM DE ÔNIBUS – ELE VAI RESPONDER POR ESTUPRO DE VULNERÁVEL

/ Polícia

Postado por: Administrador - em 13/10/2017 às 07:35

Um passageiro de 32 anos que viajava de ônibus de São Paulo para o Rio foi preso na manhã passada, em Piraí, por estupro de vulnerável. Ele foi acusado por outra passageira, de 27 anos, de ter esfregado o pênis em sua perna durante a viagem, enquanto ela dormia. A mulher comunicou o suposto ato ao motorista do ônibus, que parou no posto da Polícia Rodoviária Federal no quilômetro 227 da Via Dutra. Eles foram conduzidos à delegacia de Piraí, onde o suspeito, que nega a acusação, foi preso em flagrante por determinação do delegado MICHEL FLOROSCHK. Em seu depoimento, a passageira relatou que estava dormindo quando, na altura de Queluz, em São Paulo, sentiu que algo estava alisando sua perna. Ainda segundo ela, o mesmo teria acontecido quando o ônibus cruzava Volta Redonda e que, na segunda vez, viu que o passageiro ao seu lado esfregava o pênis nela. Também de acordo com a versão da mulher, diante de sua reação negativa, o homem teria lhe pedido desculpas, mas ela decidiu comunicar o ocorrido ao motorista para que a polícia fosse acionada, fazendo com que o ônibus parasse no posto da Polícia Roroviária em Piraí. Também em depoimento, o passageiro, que vestia bermuda e disse estar noivo, alegou que tomou um medicamento para dormir e que por isso, pode ter encostado a perna ou a mão na perna da mulher, mas negou que tenha esfregado o pênis nela. Acrescentou que, entre eles, além do apoio para o braço, havia uma garrafa de água. Os dois ocupavam poltronas nos fundos do ônibus, próximo ao banheiro.

 

O delegado de Piraí, ao determinar a prisão, levou em conta o relato dos policiais rodoviários de que o suspeito não se mostrou surpreso nem inconformado ao saber que o caso seria levado à apreciação da autoridade policial. FLOROSCHK levou em conta, ainda, que a vítima não tinha motivos para fazer a acusação sem motivo. O preso, que é auditor fiscal em São Paulo, vai responder por estupro de vulnerável porque a mulher dormia, estando indefesa no momento em que foi molestada. 

Submenu