Escute nossa Rádio Online

Rádio 96,1 FM Rádio Light Rádio 1390 AM

Tarifa Comercial Zero está em teste em Volta Redonda

/ Notícias

Postado por: Administrador - em 10/10/2017 às 07:22

A prefeitura de Volta Redonda deu início na manhã da segunda-feira à fase de testes, que vai durar 30 dias, de utilização de um ônibus 100% elétrico na Tarifa Comercial Zero, uma das principais promessas de campanha do prefeito Samuca Silva. A primeira viagem do veículo teve como convidados jornalistas da imprensa regional. Durante o restante do dia, outros segmentos, como empresários, participariam de outras viagens para conhecer o sistema. Na primeira, o ônibus chamou a atenção das pessoas que estavam nas ruas, no comércio e nos ônibus urbanos.

Samuca foi acompanhado do vice Maycon Abrantes e do secretário de Transporte e Mobilidade Urbana, Wellington Silva. O ônibus partiu do ponto de parada em frente ao Palácio 17 de Julho, no Aterrado.  O sistema ligará os bairros Vila Santa Cecília, Centro, Aterrado e Retiro e, a partir desta terça-feira, sairá do Retiro às 8h30min. Os demais horários, que vigorarão de segunda a sábado, serão às 10 horas, 11h30min, 13 horas, 14h30min e 16 horas.

 

Samuca fez questão de ressaltar que não se trata de um serviço convencional, como o que é prestado pelas empresas de ônibus que atuam nas linhas urbanas municipais. Disse ainda que o projeto, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico com a de Transporte e Mobilidade Urbana, foi planejado de forma a não interferir no transporte público municipal.

- Temos um programa bem claro para a mobilidade urbana de Volta Redonda, que tem no trânsito um gargalo. O projeto deste ônibus é estimular o transporte público, com as pessoas deixando seus carros nas residências e vindo para os centros comerciais de ônibus – afirmou Samuca.

O período de teste do ônibus não custará nada à prefeitura, que planeja adquirir até três modelos idênticos, através de pregão, caso o resultado seja favorável. “Vamos avaliar o tempo da corrida, quantidade de passageiros e a quantidade de ônibus necessários. Foram criados pontos de parada diferentes do transporte sob concessão para um não afetar o outro. Isso foi discutido com as empresas”, ressaltou o prefeito.

 

Segundo ele, a estimativa do governo é que cada veículo saia na faixa de até R$ 1,1 milhão, sendo que o fabricante terá de dar 20 anos de garantia. Ainda de acordo com Samuca, o município dispõe de recursos próprios para fazer a aquisição, mas também vai tentar linhas de financiamento.

Com três ônibus, a estimativa é que o percurso seja cumprido num tempo de 25 minutos. O ônibus dispõe de dispositivos para aparelhos móveis e wifi, além de ar condicionado. Os seis pontos de embarque e desembarque ficam na Avenida Paulo de Frontin  (em frente à prefeitura), Vila Santa Cecília  (Rua 21-C, atrás do Escritório Central), Rua Eduardo Junqueira  (Centro), Avenida Lucas Evangelista, no Aterrado  (em frente ao Sesi), e no cruzamento da Avenida Sávio Gama com Rua Campos  (Retiro). É importante lembrar aos usuários que eles somente permitirão a entrada e saída dos passageiros nestes quatro pontos. Além do motorista, trabalham no veículo três jovens para orientar os usuários.

O representante da empresa, Márcio Gouveia, explicou que o ônibus elétrico tem autonomia para rodar até 250 quilômetros, mas o desempenho depende do número de passageiros, da topografia e da velocidade desenvolvida. Para ser recarregado, o ônibus leva quatro horas. Neste período experimental um ponto para esta finalidade foi instalado na área de estacionamento do Palácio 17 de Julho. Samuca disse que ainda não se sabe quanto custa o reabastecimento, o que também será respondido nesta fase de testes.

O coletivo que está sendo testado tem capacidade para 26 passageiros sentados e 57 em pé. O ônibus é adaptado para cadeirantes e, quando necessita embarcar ou desembarcar, o portador de necessidades especiais ainda é auxiliado por um sistema que faz o veículo se inclinar para qualquer um dos lados.

 

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Joselito Magalhães, informou que, se ao final do período de testes – depois o veículo vai para Niterói com a mesma finalidade – o sistema for aprovado, a prefeitura poderá recorrer a ônibus convencionais para continuar prestado o serviço até que seja concluída a licitação, pois o vencedor terá prazo de três meses para fazer a entrega, “O uso dos ônibus convencionais poderá ser feito para não interromper o serviço”, afirmou Joselito.

O processo para a aquisição dos ônibus, que estava previsto para ocorrer no dia 22 do mês passado foi adiado em razões de contestações que foram apresentadas. O TCE (Tribunal de Contas do Estado) pediu mais prazo para análise do edital.

 

Com informações de Fernando Pedrosa

Submenu